Dispositivos inteligentes são uma realidade!

Cada vez mais presentes no comércio e nas residências da população, esses dispositivos tem o intuito de integrar os aparelhos eletroeletrônicos e permitir seu controle de forma centralizada, remota e com mais praticidade.

Seguindo essa tendência que cresce consideravelmente no mercado nacional, a oferta de Tomadas inteligentes também aumenta, e eis que surge a pergunta: devemos certificar ou não?

Para que você tenha esta resposta, primeiro vamos entender três principais tipos desse produto:

– Tomadas fixas inteligentes;
– Tomadas móveis inteligentes; e
– Adaptadores de plugues e tomadas inteligentes.

Qual a diferença?

As Tomadas fixas inteligentes são dispositivos constituídos de uma única peça, destinados a serem fixados à parede de maneira permanente, controlados por um circuito eletrônico atuado através de Wireless, touch, micro-chave etc., que permitem a ligação de um ou mais plugues de aparelhos eletroeletrônicos e que são alimentadas através da conexão dos condutores da instalação elétrica fixa.

Exemplo:

As Tomadas móveis inteligentes são dispositivos não destinados a estarem fixados de maneira permanente, podendo ser utilizadas em diferentes locais, controlados por um circuito eletrônico atuado através de Wireless, touch, micro-chave etc., que permitem a ligação de um ou mais plugues de aparelhos eletroeletrônicos e que são alimentadas através de um cordão de alimentação com plugue.

Exemplo:

 

 

Os Adaptadores de plugues e tomadas inteligentes são dispositivos (constituídos de uma única peça) que permitem a ligação de um ou mais plugues de aparelhos eletroeletrônicos e incorporam um plugue (sem cordão) para alimentação.

Exemplo:

E a certificação?

Tomadas (fixas e móveis) inteligentes

A portaria Inmetro n.º 85, de 03 de abril de 2006, que traz o regulamento de avaliação da conformidade para plugues e tomadas para uso doméstico e análogo, utiliza como base de avaliação dos requisitos de segurança a norma ABNT NBR 60884-1.

Essa norma não se aplica às Tomadas fixas inteligentes. Entretanto, é necessário ficar atento à padronização dimensional desses produtos. Apesar de não possuir regulamento compulsório de certificação, esses produtos somente devem ser fabricados, importados e/ou comercializados em conformidade com uma das padronizações previstas na norma NBR 14136/2012.

Por outro lado, as tomadas móveis inteligentes devem ser certificadas conforme portaria Inmetro n.º 85, de 03 de abril de 2006.

Essa portaria estabelece a possibilidade de escolha entre dois esquemas distintos de certificação para obtenção e manutenção da licença para o uso da Marca de Identificação da Certificação:

  • Esquema com Avaliação do Sistema da Qualidade do Fabricante e Ensaios no Produto

Este esquema contempla a realização de auditoria do Sistema da Qualidade do fabricante, além da realização de ensaios em amostras coletadas na linha de produção do fabricante.

Os produtos devem atender aos requisitos das normas ABNT NBR 60884-1/2010 e NBR 14136/2012.

O Sistema da Qualidade do fabricante deve atender aos requisitos abaixo, conforme norma ABNT NBR ISO 9001/2015:

– Controle de registros;

– Controle de produção;

– Identificação e rastreabilidade do produto;

– Preservação do produto;

– Controle de dispositivos de medição e monitoramento;

– Medição e monitoramento de produto;

– Controle de produto não-conforme;

– Ação corretiva;

– Ação preventiva;

 

O certificado é emitido com validade de 2 anos, sendo que a cada 6 meses é realizado um acompanhamento da certificação através da realização de nova auditoria e novos ensaios em amostras representativas da produção, conforme estabelecido na portaria Inmetro n.º 85, de 03 de abril de 2006.

  • Esquema com Certificação de Lote

Este esquema visa a validação e obtenção da licença para o uso da Marca de Identificação da Certificação em um lote específico de produtos.

Deve ser realizada uma avaliação com relação ao tamanho do lote e especificações técnicas dos produtos que o compõem.

Após definido a quantidade, as amostras são submetidas a ensaios de tipo e ensaios de inspeção, conforme a NBR 5426:1985, com plano de amostragem dupla – normal, nível geral de inspeção I e NQA de 0,25.

O certificado é emitido, sem data de validade, indicando a conformidade daquele lote em específico com os requisitos da portaria Inmetro n.º 85, de 03 de abril de 2006. Neste esquema não é realizado o acompanhamento da certificação.

Adaptadores de plugues e tomadas inteligentes

A portaria Inmetro n.º 324, de 21 de agosto de 2007, que traz o regulamento de avaliação da conformidade de adaptadores de plugues e tomadas, utiliza como base de avaliação dos requisitos de segurança a norma ABNT NBR 14936 (que deve ser utilizada em conjunto com a norma ABNT NBR 60884-1).

Os Adaptadores de plugues e tomadas inteligentes devem ser certificados conforme portaria Inmetro n.º 324, de 21 de agosto de 2007.

Essa portaria estabelece dois modelos distintos de certificação para obtenção da autorização para o uso do Selo de Identificação da Conformidade:

  • Modelo com Avaliação do Sistema de Gestão da Qualidade do Processo de Produção do Produto e Ensaios no Produto

Este modelo contempla a realização de auditoria do Sistema da Qualidade do fabricante, além da realização de ensaios em amostras coletadas na linha de produção do fabricante.

Os produtos devem atender aos requisitos das normas ABNT NBR 14936/2006 (que deve ser utilizada em conjunto com a norma ABNT NBR 60884-1), NBR 14136/2012 e ABNT NBR IEC 60669-2-1/2014 (ou IEC 60669-2-1/2009).

O Sistema da Qualidade do fabricante deve atender aos requisitos abaixo, conforme norma ABNT NBR ISO 9001/2015:

– Controle de registros;

– Controle de produção;

– Identificação e rastreabilidade do produto;

– Preservação do produto;

– Controle de dispositivos de medição e monitoramento;

– Medição e monitoramento de produto;

– Controle de produto não-conforme;

– Ação corretiva;

– Ação preventiva;

 

O certificado é emitido com validade de 2 anos, sendo que a cada 6 meses é realizado um acompanhamento da certificação através da realização de nova auditoria e novos ensaios em amostras representativas da produção coletadas no comércio, conforme estabelecido na portaria Inmetro n.º 85, de 03 de abril de 2006.

  • Modelo com Certificação do Lote

Este esquema visa a validação e obtenção da licença para o uso da Marca de Identificação da Certificação em um lote específico de produtos.

Deve ser realizada uma avaliação com relação ao tamanho do lote e especificações técnicas dos produtos que o compõem.

Após definido a quantidade, as amostras são submetidas a ensaios de tipo e ensaios de inspeção, conforme a NBR 5426:1985, com plano de amostragem dupla – normal, nível geral de inspeção I e NQA de 0,25.

O certificado é emitido, sem data de validade, indicando a conformidade daquele lote em específico com os requisitos da portaria Inmetro n.º 324, de 21 de agosto de 2007. Neste esquema não é realizado o acompanhamento da certificação.

 

Tem alguma dúvida? Pretende fabricar ou importar um produto e não tem certeza sobre a exigência da certificação?

Fale com a gente! Estamos prontos para te ajudar!